Quarta-feira
18 de Outubro de 2017 - 
Maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado! (Rui Barbos ...
Viver significa lutar.(Seneca)
O mal não pode vencer o mal. Só o bem pode fazê-lo. (Leon Tolstoi)

Visitas por email

Bolsa de Valores

Bovespa 0,00% . . . .
NASDAQ 0,03% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Belém, PA

33ºC
25ºC
Pancadas de Chuva

Quinta-feira - Belém,...

34ºC
24ºC
Pancadas de Chuva

Sexta-feira - Belém, ...

35ºC
23ºC
Pancadas de Chuva a

Sábado - Belém, PA

35ºC
23ºC
Pancadas de Chuva a

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,18 3,18
EURO 3,73 3,73
IENE 0,03 0,03
LIBRA ES ... 4,18 4,18

Manchetes jurídicas

Maria da Penha nas redes sociais do CNJ alcança 50 milhões

As redes sociais do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) usaram várias plataformas da internet, como Spotify, Facebook, Medium e Twitter, para que os internautas possam ler, escutar, interagir e refletir sobre a violência praticada contra a mulher. As ações para marcar os 11 anos de criação da Lei Maria da Penha, alcançaram mais de 50 milhões de usuários das redes sociais. No Twitter do CNJ, utilizando a hastag #SouMulherE, a campanha chegou a ficar entre os Trending Topics de Brasília (os 10 assuntos mais comentados pelo público), na segunda-feira (7/8), e virou tendência no Brasil, segundo o TrendsMap, site de monitoramento de tendências no Twitter. O conjunto de ações promovido pelo CNJ pretende estimular depoimentos e mensagens de personalidades nas redes sociais condenando a violência contra a mulher, ajudando a promover a Lei Maria da Penha entre os internautas e a reforçar a importância da denúncia de casos de abusos. O Twittaço engajou centenas de usuários comuns e apoiadores como a cantora Elza Soares, a atriz Regina Casé, a cantora de funk Valesca Popozuda e o jornalista Chico Pinheiro, que retuitaram as mensagens de apoio à luta pelo fim da violência contra a mulher, compartilharam ou mesmo interagiram com a hastag. A cantora Elza Soares produziu mensagens e vídeo com a biofarmacêutica cearense, símbolo da luta contra a violência doméstica, Maria da Penha. Veja aqui. Facebook e Spotify No Facebook, a campanha “11 anos da Lei Maria da Penha: 11 motivos para não se calar”, os quatro posts publicados no dia que a Lei Maria da Penha aniversariou alcançaram mais de 250 mil pessoas. A ação seguirá até o fim de agosto, com mensagens diárias, contendo informações relativas ao tema. Para a campanha, também foram gravados depoimentos com Maria da Penha Maia Fernandes, sobrevivente de duas tentativas de assassinato, praticadas pelo então marido. Já na plataforma musical Spotify, a ideia é que o usuário possa aproveitar o mês para se engajar, ouvindo músicas interpretadas por 11 cantoras brasileiras. Estão na playlist Elis Regina, Elza Soares, Cássia Eller, Karina Buhr, Ana Cañas, Karol Conká, entre outras. A playlist pode ser ouvida também no Youtube. Acesse as listas: Playlist no Spotify e Playlist no Youtube Medium Chamar atenção para as várias formas de violência sofridas pelas mulheres e a transformação que a Lei Maria da Penha vem provocando na sociedade foi o ponto central do artigo especial, escrito para a plataforma de conteúdo digital Medium, com o relato de uma mulher, a mineira Antônia Fonseca, que sofreu maus tratos em seu casamento durante 25 anos. Leia a matéria especial aqui. Regina Bandeira Agência CNJ de Notícias
12/08/2017 (00:00)
Acessos  907125
© 2017 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.